domingo, 6 de novembro de 2011

Drosera filiformis – Período de Dormência e Atividade

A Drosera filiformis tem um período de dormência durante os meses frios ficando completamente inerte. Então resolvi registrar, com fotos datadas, as fases desde sua plena atividade, enquanto está crescida e florescendo e quando a planta fica inativa.

1- Foto de D. filiformis em seu clímax:


2- D. filiformis entrando em dormência. As folhas vão secando aos poucos:



3- Quando as folhas secam completamente, pode-se cortá-las e deixar somente os bulbos: 




4- Bulbos despertando da dormência:





5- Crescimento:



6- Na primavera seguinte... Planta com folhas bem desenvolvidas e florescendo:



quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Mudas de Dionaea muscipula

Eu queria ampliar e espalhar mudas de Dionaea muscipula para alguns outros vasos. Assim deixei uma planta adulta se desenvolver de forma que ela se dividisse naturalmente formando uma touceira de Dionaea, com as mudas ficando apinhadas.
A época tradicional de se replantar Dionaea é em meados de setembro, na primavera (no hemisfério sul). Mas quem tem várias Dionéias em casa pode arriscar fazer o transplante de algumas fora de época, se achar necessário. Eu particularmente, nunca tive problemas com relação a isso.

Como deixei as plantas se dividirem sozinhas do rizoma no final do outono, elas já estavam prontas para serem apenas separadas e distribuídas entre vasos individuais ou não. Gostei bastante da quantidade de mudas que elas produziram!

A foto mostra uma planta que se reproduziu sozinha gerando uma touceira com várias mudas:





Outra touceira que surgiu de somente uma planta:





Depois de separadas é só plantá-las onde desejar.

sábado, 6 de agosto de 2011

Musgo Esfagno Ressecado

Às vezes, o clima seco resseca o musgo esfagno que fica sobre o substrato dos vasos. Nesse caso, ele fica com uma cor esbranquiçada mas, tem a usa beleza!
Porém, é necessário cuidar para que as plantas carnívoras que ficam ao ar livre não estejam com o substrato totalmente seco, senão elas correm o risco de morrerem. Já que umidade é imprescindível para as plantas carnívoras.

Fotos abaixo podem ilustrar:

Musgo ressecado e sua coloração "branca":

musgo esfagno ressecado



Musgo esfagno verde:

Comparação entre o musgo normal e o musgo ressecado:

nepenthes com musgo

musgo esfagno seco

domingo, 3 de julho de 2011

Nepenthes - Glândulas de Néctar por Fora do Jarro

Nessa foto vê-se um jarro (ascídio) de uma planta carnívora Nepenthes ( N. X mixta x khasiana), suas glândulas de néctar do lado de fora do jarro estão "transbordando". Uma formiga foi atraída por esse néctar e está se deliciando!


nepenthes formiga ant glandulas nectar

sábado, 11 de junho de 2011

Anomalia em Dionaea muscipula

Essa anomalia na planta carnívora Dionaea muscipula aconteceu devido ao corte da haste floral. Eu corto sempre a haste para manter a planta com aparência saudável e bonita durante a temporada de crescimento. Mas, nesse caso ela insistiu em continuar crescendo e assim deixei para ver o que acontecia. O resultado se vê nas fotos abaixo:

Photobucket

Dionaea muscipula venus flytrap planta carnivora

domingo, 1 de maio de 2011

Planta Carnívora - Nepenthes truncata

Um pouco sobre a planta


A Nepenthes truncata é uma planta carnívora endêmica da ilha de Mindanao nas Filipinas. A espécie cresce em elevações de 0-1500 m acima do nível do mar. A planta é caracterizada pelo seu formato das folhas truncadas e jarros muito grandes, que podem atingir 40 cm de altura. A planta pode chegar a 4 m de diâmetro. Existem N. truncata que crescem em planícies (lowland), e as que crescem em montanhas acima de 1000 m (highland). As plantas de planície são caracterizadas pelos jarros (ascídios) verdes com peristômio vermelho ou listrado, e as de montanha têm os jarros avermelhados, alaranjados ou também “negros” (marrom escuro).

Em setembro de 2006, no Botanical Gardens em Lyon, na França, uma Nepenthes truncata foi fotografada com o cadáver em decomposição de um rato. Este incidente é o primeiro registro de um mamífero a ser preso em jarros de N. truncata. Ambas N. rajah e N. rafflesiana são conhecidas por capturar ocasionalmente pequenos mamíferos em estado selvagem.

A Nepenthes truncata é uma carnívora geralmente de fácil cultivo. Ela pode tolerar níveis mais baixos de umidade, melhor mantê-la acima de 75% de umidade.Ela se desenvolve bem em luz do sol sombreada.

Como eu cultivo

Eu cultivo Nepenthes truncata sem estufa. Ela cresce em local sombreado no verão e com um pouco de luz solar no outono-inverno. O substrato é pó de casca de côco e mantenho este sempre úmido. Dependendo do clima a planta é borrifada com água no mínimo uma vez por dia. A forma lowland cresce rápido, eu tenho duas plantas que adquirí quando mudas e elas cresceram bastante. Já a forma highland cresce mais devagar e precisa de mais atenção, às vezes, é necessário o uso de fertilizante e a planta precisa ficar mais protegida do vento.

O cultivo das Nepenthes truncata ‘lowland’ pode ser simples, fácil e gratificante principalmente quando se mora em terras baixas.


Abaixo, fotos das minhas plantas e como se desenvolveram desde que adquirí as mudinhas:


Junho/2008:

muda de nepenthes

Fevereiro/2009:

nepenthes truncata seedling

Março/2010:

truncata

Janeiro/2011:

nepenthes truncata
Jarro:

planta carnivora nepenthes truncata


Planta:

nepenthes

Uma outra N. truncata menor. Ela também cresce rápido e muito bem!

Setembro/2009:

planta carnivora

Novembro/2010:

nepenthes truncata

Fonte: Wikipédia, Nepenthes University.

sábado, 2 de abril de 2011

Cor do Jarro da Planta Carnívora Nepenthes ventricosa

Essa planta carnívora Nepenthes ventricosa cresce bem sob condições de planície (lowland), mas produz escassos jarros já que é considerada uma planta de intermediária (intermediate) para de montanha (highland). Porém quando produz jarros em épocas de clima bastante úmido, estes são magníficos. As fotos abaixo mostram a diferença de iluminação incidindo sobre o jarro e a mudança de cores.

A pouca claridade deixando o ascídio (jarro) quase branco. Uma cor incomum!


nepenthes ventricosa


Agora, com a luz do sol sobre o jarro, um tom dourado se sobressai, revelando outra cor lindamente incomum! Parece uma lâmpada acesa!!!


nepenthes ventricosa planta carnivora


Fotos do jarro já com uma linda cor avermelhada!







Os 3 estágios de cores variadas!!!


Outro jarro (ascídio)da N. ventricosa envelhecendo. Sua coloração também é fascinante nessa fase!

Há algum tempo eu cultivava N. ventricosa em um vaso pequeno. Mas, ela não se desenvolvia bem, ficava estagnada. Resolvi replantá-la no final do inverno ao início da primavera para um vaso maior com uma mistura de turfa e pó de casca de côco, ficando assim mais úmido e então ela começou a crescer melhor. A planta fica em local sombreado com alguns momentos de luz do sol.

sábado, 5 de março de 2011

Plantas Carnívoras em Floreira (Mini bog)

Como algumas plantas carnívoras necessitam de solos bastante úmidos para sobreviver, um jeito bem interessante, bonito e prático de cultivá-las é em floreira (Mini bog). Eu evito ao máximo colocar as carnívoras em vasinhos, pois quando as planto em floreiras posso pôr várias espécies em um só lugar. Nesses recipientes tenho as plantas carnívoras: Utricularia, Drosera, Sarracenia e Dionaea e elas ficam sob luz solar direta. Tem a vantagem de manter um reservatório de água no fundo, onde evita proliferação de insetos sem deixar água exposta ao ar livre. Ela é bem simples de fazer!

- 1 Floreira com ou sem furos(de preferência sem furos);
- 1 pedaço de cano de pvc;
- Pedras ou argila expandida;
- Argamassa (somente para cobrir os furos da floreira, se tiver furos);
- O substrato pode ser uma mistura de dois ou mais desses ingredientes pó de casca de côco, pó de xaxim, vermiculita, musgo Sphagnum com areia grossa;
- 1 tela fina de náilon.

Compre uma floreira, de preferência sem furos, e coloque a um canto o cano de pvc. Preencha o fundo até mais ou menos 3 cm com argila expandida. Cubra a camada de argila com uma tela ou tecido fino separando o substrato da argila. Complete a floreira com o subtrato. Faça um furo do lado oposto ao cano, na altura um pouco acima da camada de argila expandida. Coloque água pelo cano de pvc até vazar pelo furo. Plante as plantas.

A figura abaixo ilustra como eu preparo o substrato nas floreiras, a areia pode ser grossa:



Aqui como fica o sistema de reserva de água. Despejando água de vez em quando garante o suprimento por alguns dias sem problemas:

minibog

Canos de entrada de água. O da esquerda é um pouco mais largo e facilita a entrada de água quando se for derramar. O direita é mais fino e possui tampa de garrafa pet, porém bastante estreito, demorando um pouco para a água entrar:

mini-bog

Saída de água em excesso:



Um minibog montado e funcionando:

minibog- plantas carnivoras-carnivorous plants

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Reproduzir Plantas Carnívoras por Brotações

Aqui mostro alguns meios de se reproduzir plantas carnívoras através de brotações. Em todos os casos os solos estavam obrigatoriamente úmidos e as partes usadas ficaram sob luz do sol indireta. O solo utilizado foi pó de casca de côco.

CORTE DE FOLHA
Fiz a reprodução de Drosera capensis por corte de folhas. Apenas destaquei a folha inteira da planta, coloquei sobre o solo e esporadicamente borrifava água sobre ela para mantê-la úmida por mais tempo. A área dos brotamentos nas fotos fica entre as gotinhas aderentes.
Drosera capensis-leaf-cutting-corte-de-folha
Drosera-capensis-leaf-cutting-corte-folha

Brotação de folha de Pinguicula wesser também apenas sobre o solo:
Pinguicula-wesser-leaf-cutting-corte-folha
DECAPITAÇÃO
Por decapitação, eu fiz o corte da parte de cima da planta tirando folhas e broto, sobrando apenas o "toco". Em poucos dias vieram vários brotos, retirei cada um e plantei. A vantagem de se fazer esse método é que as mudinhas do brotamento já são mais fortes e resistentes podendo-se fazer o transplante logo que elas estejam apinhadas. As plantas usadas foram D. capensis.
Drosera-capensis-red-reproduzir-decapitacao
Drosera-capensis-reproduzir-decapitacao


CAULE FLORAL

Caule floral de Drosera filiformis. Esse caule foi arrancado da planta e deixado sobre o solo gerou um broto.
Drosera-filiformis-caule-floral

Apenas cortei um galho com tesoura bem afiada mais ou menos perto do broto. Cortei as folhas pela metade para evitar que a estaca se desidratasse através da transpiração, e então fiz o plantio. Para manter a alta umidade do ar para o brotamento, improvisei uma espécie de estufa feita com garrafa pet cortada e pus sobre o vaso com a estaca.

Brotação de Nepenthes alata:


ESTACA
estaca-nepenthes

sábado, 22 de janeiro de 2011

Curiosidades - Plantas Carnívoras

As Plantas Carnívoras são nativas de pântanos em florestas equatoriais e dos trópicos. Foram encontradas pela primeira vez no século XVIII pelo inglês J. Ellis em 1768. Existem cerca de 600 espécies descobertas no Mundo. E no Brasil há grande variedade encontrada em Minas Gerais, Bahia e Goiás. Elas são plantas muito antigas, há fósseis indicando a existência delas no período Eoceno (de 53 a 37 milhões de anos)!

Plantas carnívoras, esse nome leva a conclusão de que existem plantas que comem carne. E comem mesmo! Mas não causam perigo aos humanos. Elas "caçam" insetos e pequenos animais e os digerem através de enzimas assim extraindo seus nutrientes. Mas geralmente fazem isso muito discretamente, pois desenvolveram sofisticados modos de captura de suas vítimas. Elas comem insetos porque são originárias de solos pobres em nutrientes, assim tiveram que se adaptar ao ambiente desenvolvendo meios de capturar suas presas. Para atrair suas presas possuem armadilhas de vários tipos. Algumas plantas carnívoras possuem armadilhas dentadas semelhantes a jaulas, outras possuem folhas pegajosas, outras têm urnas como jarros, outras possuem uma espécie de “bexiga”, e outras desenvolveram folhas com tentáculos que “abraçam” as vítimas.

Essas plantas também chamadas de insetívoras desafiam a ordem da natureza, pois ao invés de virar alimento para os animais, estes é que viram alimento para elas! Acredita-se que essas plantas tornaram-se carnívoras devido às chuvas que caíam no seu ambiente selvagem e deixavam poças de água em folhas com certas depressões, nessas poças, insetos pousavam para beber a água existente e acabavam se afogando, sendo decompostos por bactérias na poça. E como as plantas hoje estão adaptadas para a capacidade de alimentação foliar absorvendo nutrientes, na época como similar a isso, aqueles insetos mortos, para as plantas habitantes daquele solo fraco, passaram a ser fonte de alimento. Mas as plantas evoluíram esse sistema de alimentação produzindo formas de armadilhas personalizadas, atraindo insetos, produzindo enzimas digestivas para absorver os nutrientes e assim puderam crescer e se reproduzir naquele ambiente hostil. Mais curiosidades sobre plantas carnívoras:

- O Jardim Botânico do Rio de Janeiro conseguiu suas primeiras plantas carnívoras quando um dirigível chamado "Graf Zeppelin" as trouxe da Alemanha em 1935.

- Elas foram e tem sido usadas como remédio para curas de várias doenças.

- Acreditava-se que elas possuíam poderes afrodisíacos.

- Existe um museu virtual de fotografias de plantas carnívoras em Galleria Carnivora: http://www.sarracenia.com/galleria/galleria.html

- A planta Nepenthes truncata com seus enormes jarros já chegou a capturar um rato.

- A Dionaea já foi tema de acessórios e roupas da grife New Order no Fashion Rio coleção verão 2011.

- Por volta de 1875, Charles Darwin escreveu: " eu me importo mais sobre a história da Drosera do que a origem de todas as espécies no mundo".


- São temas de palestras pelo mundo e de trabalhos acadêmicos. - Eventos sobre plantas carnívoras são realizados por vários países fora do Brasil. - A Tork Inc. construiu 4 esculturas monumentais de plantas carnívoras como Sarracenia, Dionaea, Drosera e Nepenthes para a exposição “Savage Gardens”: http://www.fpconservatory.org/documents/Savage%20Gardens-e.pdf


- Plantas carnívoras já foram esculturas, chaveiros, tatuagens, quadros, estampas de roupas e sapatos, incluídas em letras de música e poesias, fantoche, brinquedo, robô, pinturas em teto, quadrinhos, calendário, propagandas, quadros, selos, porcelana fria, pirogravuras, doces, games, charges, teatro, filmes, privadas de banheiro.

.

Fontes: internet e livros: Growing Carnivorous Plants - Barry A. Rice e Carnivorous Plants of the World - James Pietropaolo

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Capturas de Insetos

Estas fotos mostram a captura de insetos e pequenos animais pelas plantas carnívoras. Fotos das vítimas:

pinguicula inseto






formiga dionaea


nepenthes comendo lagartixa














drosera pegou inseto


nepenthes comendo sapo